PILADE <i>Pílades</i>
Em 2015 passaram 40 anos sobre a morte de Pasolini, assassinado perto de Roma em circunstâncias até hoje não inteiramente esclarecidas. Talvez por causa desta efeméride, o número de montagens dos seus textos foi, em Portugal, maior do que o habitual. Em Nova Iorque foi o grupo La MaMa que abordou Pílades, pela mão de um encenador familiar em Almada: o croata Ivica Buljan. Baseando-se na Oresteia, de Ésquilo, Pasolini faz, nesta peça, uma interpretação contemporânea do mito grego, ao mesmo tempo que leva a cabo uma meditação trágica sobre a democracia, o consumismo e a luta por uma evolução social efectiva. O crítico norte-americano Randy Gener considerou Píladesa melhor peça da temporada de Nova Iorque: vê-la só uma vez não chega”. Em Almada faremos duas sessões.

O encenador e professor de teatro Ivica Buljan (n. 1965, Sinj) foi director artístico do Teatro Nacional da Croácia e co-fundador do Teatro do Mundo, em Zagreb, e do Mini Teater, em Liubliana. Em 2012 recebeu o Prémio Persen, a mais alta distinção cultural do Estado esloveno. Em 2014 dirigiu para a Companhia de Teatro de Almada Cais Oeste, de Bernard-Marie Koltès. No ano seguinte foi responsável pela École des Maîtres, um curso para jovens actores europeus.
_____________________________________________

ENGLISH VERSION

For the first time in Portugal, the New Yorker experimental theatre company La MaMa presents one of the most emblematic plays by Pasolini: Pilade, which consists on a tragical meditation on democracy and consumerism. The Croatian director Ivica Buljan and the Slovenian actor Marko Mandić bring a Baltic touch to this production.



La MaMa Experimental Theatre Club