PINOCCHIO<br/><i>Pinóquio</i>
Joël Pommerat, que o público do Festival conhece de êxitos como Círculos/ficções (2011) ou A reunificação das duas Coreias (2014), está de regresso com um Pinóquio que assenta no contraste entre a austeridade do real e os encantos da fantasia, procurando responder à seguinte pergunta: será possível crescer e continuar a ser livre? Estreado no Odéon-Théâtre de l’Europe, Pinóquio tornou-se num espectáculo de culto, no qual Pommerat faz jus ao apodo de “mago da cena”: na caixa negra que caracteriza o seu teatro, o encenador, recorrendo à prestidigitação, faz surgir uma sala de aula, uma boîte manhosa e – como não poderia deixar de ser – a barriga de uma baleia. Já este ano, Pinóquio recebeu o Prémio Molière (o principal galardão teatral de França) para o Melhor Espectáculo para o Público Jovem apresentado em 2015.

Joël Pommerat (n. 1963, Roanne) funda a sua companhia em 1990. Foi artista residente do Espace Malraux-Scène Nationale de Chambéry et de la Savoie, do Théâtre des Bouffes du Nord (a convite de Peter Brook), do Odéon-Théâtre de l’Europe e ainda do Théâtre National de Bruxelles. Em 2006 foi também artista convidado do Festival d’Avignon, onde recebeu o Grande Prémio de Literatura Dramática por Les marchands. A sua obra encontra-se publicada na editora Acts Sud.
_____________________________________________

ENGLISH VERSION

Joël Pommerat is known in France (and abroad) as the Stage Magician. Basing his work on literature and the capacity of creating images from a dark stage, Pommerat brings us a Pinocchio that has much to do with the economical crisis Europe has just been through: our big nose friend lies to his school colleagues just because he can’t stand being poor.



Compagnie Louis Brouillard

Apoio: Institut Français du Portugal | Co-apresentação: Centro Cultural de Belém