ORQUESTRA GULBENKIAN
A abrir um festival de teatro, um concerto sinfónico – não fosse a música andar de mãos dadas com o drama quando os gregos inventaram a tragédia, há mais de 2.500 anos. Para mais, no programa que a Orquestra Gulbenkian traz a Almada perpassa teatro por todos os poros. Começamos com a obra que Edvard Grieg compôs para Peer Gynt, de Ibsen (e que constitui uma boa oportunidade para recordar a mítica encenação de Peter Zadek para o Berliner Ensemble que acolhemos no TMJB em 2008). O concerto inclui ainda excertos de Lucia di Lammermoor, a ópera de Donizetti, e de Candide, de Bernstein, que a Sinfónica Portuguesa trouxe ao Palco Grande em 2013. E, já que é Julho e estamos em Almada, será que a Gulbenkian nos brinda com um encore esta noite?

Jan Wierzba (n. 1985, Lodz), que foi Maestro Assistente de Vassily Petrenko e de Christian Lindberg na Royal Liverpool Philarmonic Chamber Orquestra, é considerado um dos valores emergentes da música clássica portuguesa: nascido na Polónia, cresceu e formou-se em Portugal. Foi fundador do Movimento Patrimonial pela Música Portuguesa.

Bárbara Barradas (n. 1986, Lisboa) estudou Canto no Conservatório Nacional e foi bolseira da Fundação Gulbenkian em Londres. A sua carreira de soprano tem-lhe valido vários prémios em Portugal e no estrangeiro, como o Prémio Donizetti, em Salzburgo, justamente pela sua interpretação de Lucia em Lucia di Lammermoor.
_____________________________________________

ENGLISH VERSION

Orquestra Gulbenkian, one of the most important Portuguese orchestras, opens the Festival de Almada with a program which is intimately connected with the world of theatre: Peer Gynt by Edvard Grieg, an excerpt Lucia di Lammermoor by Gaetano Donizetti, and Candide by Leonard Bernstein – and maybe something more, as an encore...



Fundação Calouste Gulbenkian