A LIÇÃO
Se há criadores cujo percurso se encontra ligado ao Festival de Almada, Miguel Seabra é um deles. Não só pela quantidade de vezes que as suas peças já foram eleitas como Espectáculo de Honra, mas também pelo verdadeiro diálogo que tem estabelecido com o público, que militantemente o tem acompanhado no seu projecto de trazer para o palco textos que à partida não tinham sido escritos como peças de teatro. Este ano o director do Teatro Meridional faz-nos uma finta e traz-nos uma das peças mais emblemáticas do século XX: A lição, de Eugène Ionesco. O espectáculo serve de pretexto para uma reflexão sobre a educação e o papel da escola e dos professores no século XXI, quando tem sido notória a tendência das várias tutelas para a alteração dos programas do ensino público nos últimos vinte anos.

O Teatro Meridional é uma companhia independente vocacionada para a itinerância nacional e internacional, tendo apresentado até à data as suas 52 produções em mais de 20 países. Nos seus espectáculos, o grupo procura basear-se na interpretação do actor, quer se trate da montagem de peças originais, da adaptação de textos não teatrais, da encenação de clássicos ou da criação de espectáculos nos quais a palavra não se encontra no centro da linha de comunicação.
_____________________________________________

ENGLISH VERSION

Miguel Seabra has an artistic career that is intimately connected with the Festival de Almada: for the number of times he has won the prize Show of Honour and for the way the audience has followed his research of a theatre that puts actors in the centre. A lição, by Ionesco, will reflect on the way last Portuguese governments dealed with public education.



Teatro Meridional