GOLEM
Golem parte do mito de um homem que cria um ser de barro para trabalhar para si. A nova produção da companhia inglesa 1927 explora a relação entre o Homem e as máquinas, num espectáculo que cruza o teatro com a linguagem cinematográfica e a música ao vivo. Pela primeira vez no nosso País, a companhia 1927 tem causado furor no Festival d’Avignon e um pouco por todo o Mundo. Golem estreou no Festival de Salzburgo em 2014 e fez carreira no Young Vic de Londres (oito semanas esgotadas), às quais se seguiram mais seis semanas no West End. A digressão mundial já levou este espectáculo (que o The Times considerou “inesquecível” e o The Stageuma das coisas tecnicamente mais inovadoras e visualmente espantosas que já vimos num palco”) a Taiwan, França, Rússia, China, Suíça, Espanha, Austrália e Itália.

Suzanne Andrade é co-fundadora e co-directora da companhia 1927, para a qual já escreveu e dirigiu espectáculos que venceram vários prémios – nomeadamente o Herald Angel, o Fringe First, o Total Theatre, o Off West End, o Critics Circle e o Peter Brook Empty Space Ensemble Award. Desde 2007 que a companhia dirigida por si se tem apresentado nos cinco continentes, em mais de 30 países. Em 2015 Suzanne Andrade integrou a lista dos 100 londrinos mais influentes, elaborada pelo jornal The Stage.
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

ENGLISH VERSION


The starting point of Golem was the myth of its creation: a clay creature, a golem, made to work for its human creator. After conquering London (eight weeks at Young Vic and six weeks at West End, always sold out), the show has been doing since 2014 a very successful tour, with presentations in Taiwan, France, Russia, China, Switzerland, Spain, Australia and Italy.



1927

Co-produção: Salzburg Festival, Théâtre de la Ville e Young Vic