Migrantes: quando o autor e o encenador se encontram
A carreira do novo espectáculo da CTA faz-se acompanhar de um ciclo de três conversas sobre o tema dos refugiados. O primeiro painel será composto pelo encenador, Rodrigo Francisco, e pelo autor da peça, Matéi Visniec. O encontro está marcado para o próximo Sábado, dia 22 de Abril, às 18h, no foyer do TMJB.

Não é muito frequente ter a oportunidade de dialogar com a pessoa que escreveu o texto que levamos à cena. E de lhe colocar directamente todas as perguntas que surgiram enquanto traduzíamos, ensaiávamos à mesa com os actores ou levantámos as primeiras cenas numa sala vazia. Na próxima Conversa com o público, aquele que é, provavelmente, o autor romeno mais representado dos nossos dias estará à conversa com um encenador que não receou fazer cortes no texto original, alterar a ordem inicial das cenas ou modificar ligeiramente o fim do espectáculo. Mas que relação estabelece Matéi Visniec com as dramaturgias e as produções que vão sendo feitas a partir dos seus textos? Terá comentários a fazer acerca do espectáculo da Companhia de Teatro de Almada? Por outro lado, importa conhecer também o seu ponto de vista sobre o assunto que escolheu abordar nesta peça. Isto é: a crise migratória e a reacção da Europa – que não só tem reservado um tratamento diferenciado para migrantes económicos e refugiados de guerra, como também tem tido dificuldade em refrear a cavalgada da extrema-direita. Será esta uma peça política? Um drama demasiado familiar para um escritor que também se viu forçado a trocar o seu país natal pela França, em 1987, quando uma ditadura comunista ensombrava a Roménia? Ou é apenas uma forma de processar a avalanche diária de informações a que tem acesso como jornalista da Rádio France Internationale? Nesta conversa, ninguém fica de fora. Matéi Visniec fala, pelo menos, em três condições: como dramaturgo, como jornalista e como cidadão.


Ângela Pardelha
in CTA 17 Abr 2017




Copyright © CTAlmada 2017 todos os direitos reservados -- website by JF